Novo estilista brasileiro concorre à premiação em Viena

 3

O Ringstrassen-Galerien Designer Award começou em 2004 e desde então já se tornou evento importante no calendário de moda da Áustria. O concurso visa apresentar ao mercado de moda novos designers e talentos da área, dando um pontapé inicial em suas carreiras.

Para a premiação deste ano, mais de 100 trabalhos foram de profissionais do mundo todo se inscreveram e apenas 9 novos talentos foram selecionados para a grande final que conta com um desfile em Viena que acontecerá no dia 15 de abril. Entre os 9 designers está Lui Iarocheski, o único estilista que vai representar o Brasil e todo continente americano na premiação.

Iarocheski se formou em Design de Moda, na UDESC -Universidade do Estado de Santa Catarina, no fim do ano passado e em seu trabalho de conclusão de curso desenvolveu uma coleção autoral com grandes peças geométricas com cortes estratégicos que quando colocadas no corpo podem se transformar e serem usadas de diversas maneiras, além de desenvolver um tecido com cordas costuradas umas às outras e tingimento próprio.

É com esse trabalho que Lui se inscreveu no Ringstrassen-Galerien Designer Award 2015 e foi escolhido para ter a oportunidade de exibir suas criações em Viena e concorrer à 5 mil euros e um troféu da premiação como prêmios finais.

1

Para saber um pouco mais de como foi o desenvolvimento da coleção a partir do conceito escolhido, os materiais e a inscrição para o concurso, conversamos com Lui Iarocheski, que nos conta um pouco mais de como estão os preparativos e a expectativa para o desfile e a premiação.

 

WFY: Qual o conceito que embasou a criação da Coleção Makumba?
LI: O conceito que norteou a coleção foi amplamente inspirado na arte experimental de Hélio Oiticica, mais especificamente na sua obra “Parangolés”. Hélio sempre procurou romper com os estereótipos, tanto da arte em si, como das definições de brasilidade e do que é belo ou intelectualizado. Ele tirou a arte do espaço sacralizado dos museus e colocou na rua, na periferia. Suas obras eram para serem experimentadas, vestidas – a participação do espectador era fundamental.
Visando esse caráter experimental, procurei criar uma metodologia própria que me garantisse o ar da vanguarda aplicado ao vestuário masculino. Fugi da lógica croqui-produto e criei experimentos manipulando a cor, a forma e o material diretamente sobre o corpo. Após centenas de experimentos fotografados e registrados em um sketchbook, a coleção definiu-se a partir de critérios de coerência. O resultado, além da série de experimentos com as formas geométricas, foi um material têxtil feito com cordas costuradas umas às outras e uma metodologia replicável para novas coleções.

 

WFY: E como você trabalhou esse conceito na criação de formas, escolha de cores e nos materiais usados?
LI: A decisão pelas cores, formas e materiais surgiu dentro do processo de experimentação. Com a referência estética direta dos Parangolés de Oiticia, procurei manter o foco nas cores luminosas, nas formas geométricas e na ausência de costura.
Durante a manipulação das formas fui elaborando estudos de aberturas ou cortes estratégicos de interação com o corpo, tanto em escala real quanto em escala reduzida. O corpo, portanto, é suporte fundamental para meus experimentos – sem ele minhas peças são meros retângulos e quadrados de tecido.
A opção por confeccionar o material têxtil de cordas aconteceu de forma espontânea durante o processo de experimentação. Nessa fase eu fiz experimentos com os mais diversos materiais: de feltro, espumas e telas até madeira e as próprias cordas. A cor eu alcancei através de tingimento caseiro das cordas de algodão.

 

WFY:Você esperava apresentar a coleção que concluiu sua graduação em outros eventos e concursos? Como você soube do Ringstrassen-Galerien Designer Award 2015?
LI: Não. Já havia deixado a coleção de lado e embarcado em novos projetos. Fiquei sabendo sobre o Ringstrassen-Galerien Designer Award 2015 através de um newsletter que recebi do site NOTJUSTALABEL.com e resolvi enviar todo o material pedido, sem muitas pretensões e confiança.

 

WFY: E o que te motivou a se inscrever no concurso?
LI: Inicialmente a facilidade do processo de inscrição – como eu já tinha todo o material que desenvolvi para o trabalho de conclusão do curso, só precisei traduzir para inglês e enviar. Depois, fiquei muito motivado com os benefícios que o concurso propunha que iam além da premiação para o primeiro colocado, a participação de todos os finalistas em um desfile em Viena e a oportunidade de vender sua coleção em lojas presentes no Ringstrassen-Galerien.

 

WFY: Foram mais de 100 trabalhos de todos os cantos do mundo inscritos, e você ficou entre os 9 finalistas que vão apresentar suas coleções em Viena. Como estão os preparativos? Você teve que refazer, ajustar ou criar mais looks?
LI: Do momento que recebi a notícia que estava na final até o dia do desfile são exatamente 30 dias. Portanto, estou a mil para preparar todos os oito looks da coleção, aproximadamente 25 peças. e demais detalhes, como confecção de etiquetas, trilha sonora para o desfile.
Para a classificação na final do concurso, a comissão organizadora considerou apenas um dos looks que fiz para a formatura. Para completar a coleção de oito looks, estou confeccionando 7 novos looks.

 

WFY: Sabemos que eles dão suporte financeiro para todos os participantes e que o vencedor vai ser premiado com 5 mil euros. Já pensou no que fazer com o prêmio, caso você seja o vencedor?
LI: Não consegui ainda imaginar o que fazer com o prêmio caso eu ganhe, pois ainda estou vislumbrado só pelo fato de estar na final e com a oportunidade de expor meu trabalho dessa forma. Caso eu ganhe, provavelmente reinvista todo o dinheiro em novos projetos para minha própria marca.

 

WFY: E para finalizarmos, o Ringstrassen-Galerien Designer Award é famoso por abrir caminhos para novos talentos. Como você acha que este concurso pode beneficiar a sua carreira daqui pra frente?
LI: Vejo a participação no concurso como uma ação de marketing para uma marca própria sem custo algum. Começar uma marca com a participação num prêmio, desfile e venda em um mercado internacional pode servir como forte mola propulsora para o mercado, além de ser o pontapé para testar uma identidade e adquirir experiência.

6

Além da votação do júri técnico que estará presente no Ringstrassen-Galerien Designer Award 2015, o público também pode votar em um dos looks dos 9 designers que estão concorrendo à premiação. É só CLICAR AQUI, ir na foto do look que você deseja votar e clicar no botão “Dafür Stimmen”, que fica acima de cada foto. Gostou de mais de um? Não tem problema, você pode votar em quantos quiser e várias vezes.

7
Fotos: Marcos Medeiros
Beauty: Vanessa Neto
Modelo: Gustavo Guazzelli

Desde o dia 30 de março, uma prévia da coleção de cada uma dos estilistas está exposta na Ringstrassen-Galerien, complexo de compras situado na rua comercial mais luxuosa de Viena, e você pode acompanhar os highlights do concurso na página oficial do Facebook.

15081951