A paixão pelo monumental de Raquel Bloomfield

 1

Para dar aquele alô, sinal de vida ou de fumaça, como preferir, após um tempo significativo de recesso, o WFY foi atrás de uma talentosíssima estudante de moda e ilustradora que, além disso, também possui um portfólio vasto no campo da joalheria. É que a gente não pode sumir e reaparecer sem uma publicação à altura dos nossos leitores, certo?

Raquel Bittencourt Bloomfield está se formando em Design de Moda na Universidade do Estado de Santa Catarina no final desse ano e atualmente trabalha para a marca de acessórios Parco Design. A ideia de entrevistá-la surgiu pelas suas publicações no Pinterest e Instagram. Raquel volta e meia compartilha por lá umas colagens belíssimas de sua autoria. E aí o bate-papo rendeu à beça e assuntos como moda, design, projetos criativos, referências e muuuitas inspirações pipocaram durante a conversa.

WFY – Da onde surgiu a vontade para criar as colagens?
Raquel – Eu sempre gostei de desenhar, sempre fui incentivada pela minha mãe desde pequena. Não consigo ficar muito tempo sem criar algo, acho que é esse anseio natural das pessoas que lidam com criação. Comecei a fazer desenhos tendo como base fotos de editorias para treinar o traço, logo vi que faltava alguma coisa como texturas ou imagens. Resolvi fazer as colagens criando uma temática com uma estética mais apocalíptica, mas priorizando a harmonia entre as cores.

WFY- Quais as principais técnicas que você utiliza? Você mistura digital e manual? Conta um pouquinho pra gente o teu processo de criação.
Raquel – Gosto muito de usar as canetas tipo marker, acho que foi a técnica que mais utilizei nos meus trabalhos, para a pintura das ilustrações. Também gosto de usar tinta guache como se fosse aquarela. Sempre tento misturar mais de uma técnica. Eu queria experimentar misturar os desenhos com fotos, e a idéia de fazer as colagens digitalmente, surgiu como uma evolução do que estava fazendo.

WFY -Da onde vem a inspiração?
Raquel – Eu me inspiro muito nas minhas viagens pela América do Sul e na minha paixão pelo o que é monumental, como a natureza, arquitetura ou até músicas. Gosto de usar imagens de montanhas, porque elas me encantam, sou apaixonada pela cordilheira dos Andes, é aquele lugar que faz me sentir em casa.

WFY – Quais as suas principais fontes de referências?
Raquel – Eu gosto muito do trabalho do fotógrafo de street style Tommy Ton, do blog Jak & Jil, gosto da maneira que ele captura as cores. Gosto também de acompanhar o Fashion Gone Rogue para ver os editoriais que são feitos nas revistas pelo mundo, foi desse site que tirei algumas das inspirações para as ilustrações.

WFY – Sendo estudante de Design de Moda, como você explica a influência dessa área em suas obras artísticas que não necessariamente tem um conceito fashion?
Raquel – Uma das coisas que acho mais divertida da moda, é você poder explorar a criação não apenas em uma coleção de roupa, mas poder entrar em outros campos e fazer trabalhos interessantes usando conceitos ligados a moda. Acredito que a influência do meu trabalho venha das coisas que aprendi sobre estética, cores, composição, da vontade por explorar novas formas de criar e experimentar novos campos e ferramentas.

WFY – O que você acredita que suas criações transmitem às pessoas? E o que você quer transmitir com elas?
Raquel – Algumas das ilustrações eu quis “brincar”com a visão da mulher através da Igreja católica e da América do Sul. Usei a sensualidade da mulher para retratar Deus, Maria e Maria Madalena. A ideia era falar sobre como a mulher é vista e tratada, basicamente criticar o machismo no continente. Elas ainda tem algo apocalíptico e monumental, mas acho que é mais porque gosto desses temas, esteticamente falando. Elas são de certa forma impactantes, chamam a atenção pelas cores, acho que isso agrada aos olhos de quem as vê. Talvez as pessoas vejam mais a estética delas do que está por trás.

WFY – Quais suas ambições para o futuro? Elas tem a ver com o seu trabalho com ilustração?
Raquel – Tenho vários projetos em andamento para esse ano, incluindo a minha coleção de formatura e um projeto que estou fazendo com a minha mãe. Estou começando uma marca também, com uma amiga que está na Holanda, estamos trabalhando no conceito e imagem da marca e devemos lançá-la no final desse ano. Vou fazer mais ilustrações para a minha coleção de formatura, quero trabalhar com estamparia digital, fazer colagens misturando fotos com desenhos e já tenho algumas opções. O book da coleção irá conter algumas ilustrações também.

Para finalizar, Raquel ainda resumiu a sua jornada de vida e experiências nas áreas criativas assim:

Saí de Curitiba para seguir meus planos de morar em Florianópolis e fazer o curso de Design de Moda da UDESC. Esse ano me formo e me sinto com a sensação de objetivos cumpridos nesse início de carreira. Pude realizar a vontade de morar longe de casa, com um intercambio em 2011 para a Argentina. Morei um ano em Buenos Aires estudando na Universidad de Buenos Aires, e tive a oportunidade de fazer cursos, inclusive um de ourivesaria em uma das melhores escolas de lá. Toda essa experiência me ajudou a crescer como uma futura designer e criar um portfólio amplo. Meu planos para esse ano são muitos, como me formar, me especializar mais no campo da joalheria, criar uma marca e realizar outros projetos criativos.

E aí, se apaixonou tanto quanto a gente pelo trabalho da Raquel? Então não deixe de conferir o portfólio da artista. E para finalizar com chave de ouro – e não podia ser diferente com tal entrevistada! -, mais umas obras de cair o queixo de Raquel Bloomfield ♥